Ajustes no Yoga – Amor e Presença

Escrito em: 13 de Janeiro de 2014 por Gisele de Menezes

Pensando em um texto apropriado que coopere com os instrutores de Yoga e que assim traga benefício aos praticantes, inicialmente parei para pensar no Yoga. Pensar em Yoga como um caminho, lembrando que a vida em si é um caminho, faz qualquer texto sobre Yoga ficar bastante abrangente.

Temos que estar atentos!

Na prática de ásanas, ao trabalharmos o corpo durante um período determinado pelo instrutor, muitos insights vão acontecendo; tanto para o praticante quanto para o atento instrutor. Os métodos variados de Yoga ensinam, de acordo com a sua linha de entendimento, os ajustes adequados. Para mim, que comecei a trilhar o caminho do “cuidado com o corpo“ pela massagem, o ajuste, o toque, o contato, são momentos sagrados. Considero essas intervenções, uma vez que sejam feitas de forma Presente, realmente poderosas.

Esta é uma boa oportunidade para trazer a consciência do praticante para o corpo. Gosto de lembrar que na massagem, quando tocamos, não estamos fazemos carícias, posto que fazemos contato. O “con-tato” estabelece a conexão com o chakra cardíaco, pois o gnanaindriya (órgão de conhecimento) deste centro de consciência é o tato – pele – elemento Ar.  Este é o terreno do amor incondicional, do não-julgamento, da compaixão e da expansão.

Quando meditamos sobre tudo o que envolve o toque, ou um ajuste, pois para ajustarmos usamos nosso karmendriya (órgão de ação) – mão; vemos o quão abrangente pode ser um “simples ajuste”. Portanto, quando ensino sobre o toque e tenho a intenção de iluminar para as pessoas o poder curativo do toque, um bom exercício é convidá-las à meditar. Sim, meditar até que, com a prática, se sintam totalmente envolvidas pela pele e, a partir desta percepção, entendam que a pele é para o corpo físico, o limite entre  – eu e o mundo lá fora.

Passo aqui um trecho da apostila que montei para o curso livre de massagem, que considero o ajuste entre o Céu e a Terra. Este é um ajuste perfeito para o momento mais precioso da prática do Yoga, o Savásana (a postura do morto).

Para que se consiga uma entrega total da pessoa, o terapeuta também deverá estar disposto a se entregar. Neste movimento, precisaremos do peso da pessoa sobre nossa mão para garantir o êxito da tração. Você deve colocar-se em posição confortável e mais do que nunca junto ao chão.

Primeira parte.

Peça à pessoa que estará deitada em decúbito dorsal, que flexione as pernas mantendo as plantas dos pés apoiados no chão. Coloque-se ao seu lado.

Peça que eleve um pouco a pelve para que você possa colocar seu antebraço e mão com a palma virada para cima e aberta por baixo de suas costas na região lombar, de modo que sinta o sacro mais ou menos no início de seu antebraço. Apoie o outro braço sobre as cristas ilíacas para firmar o receptor em cima de seu braço/mão (como na foto abaixo). Lentamente,  escorregue/puxando a mão que está por baixo na direção do osso sacro, até repousá-lo em sua mão. Faça suaves pressões com seus dedos nesta banda sacro-ilíaca, convidando a pessoa a relaxar totalmente esta e também a região lombar. A entrega trará o êxito desta tração. Logo retire sua mão, arrastando-a em direção aos pés do receptor. Sua mão deve estar como uma concha e você deixará o sacro e as vertebras lombares suavemente colocados em contato com o chão.

Tração 1

Verá que o centro umbílico desceu em direção às costas e a cavidade abdominal encontra-se ampla e relaxada.

Lombar

Segunda parte

Fique acima da cabeça da pessoa, segure-a delicadamente pela cabeça e certifique-se de que o pescoço está solto, fazendo movimentos suaves em 8 (oito).

Eleve a pessoa colocando a cabeça sobre seu ombro e simultaneamente colocando seus dois braços por baixo das costas com as mãos no início da coluna torácica. Palmas viradas para cima e paralelas a coluna vertebral (processo espinhoso). Comece a deslizar suas mãos na direção do pescoço. Neste movimento, o peso da pessoa que deverá estar solto sobre seus braços, proporcionará a tração necessária para abrir o espaço entre as vértebras.

Tração tronco/pescoço/cabeça

Ainda no mesmo movimento. Quando você chegar com suas mãos na região cervical, seja cuidadoso como se colocasse um bebê para dormir. Quando chegar na base occipital, pressione suavemente essa região. Temos pontos marmas importantes nesta região. Assim estaremos equilibrando o prana por todo o eixo vertebral.

Tração cervical Axial

Finalize repousando a cabeça da pessoa no chão, deslizando seus dedos pelo couro cabeludo e observando as instruções exatas do ásana savásana, ou seja, que as palmas das mãos estejam voltadas para o teto, polegares em direção ao chão, girando para fora da mesma forma que os ombros e peito, abertos. Glúteos em direção aos calcanhares, pernas retas e girando, desde o coxo-femoral, joelhos tornozelos, calcanhares e ponta dos dedos dos pés para fora.

Este alinhamento proporciona um profundo bem estar, é a melhor posição para ser experimentada desde que a coluna vertebral começou a sofrer o desgaste natural exercido pelo peso + gravidade.

Saiba mais:

Curso de Massagem – Método Gisele de Menezes

É um curso com 52 horas de prática e teoria incluindo 4 horas de Meditação (Anapana). A carga horária é dividida de forma harmoniosa em formato retiro intensivo de 8 dias, ou dois retiros intensivos de 04 dias, ou em curso on-line com toda a parte teórica em video aulas e a parte prática em retiro intensivo de 4 dias. Ver mais…

Tags:

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  • Etiquetas