O Silêncio

Escrito em: 7 de Janeiro de 2011 por Gisele de Menezes

Se após um silêncio ainda restarem idéias, pensamentos ou coisas a dizer do Silêncio, então não estivemos no silêncio. É provável que apenas tenhamos mantido atitude visivelmente silenciosa. Enquanto existirem resíduos, sejam eles de qualquer substância, houve a ação do pequeno ego. Nossa mente não silenciou!

O silêncio não nos pertence, pertence a Deus. O silêncio pode ser visitado se o visitante se abandonar e se entregar a Deus. Se temos sofrimentos ou alegrias com o que vemos, estamos olhando com o pequeno ego. Entrar no silêncio é abandonar o pensador, é contemplar. É ver as coisas como elas são.

Palavras do Senhor Jesus, ao ser solicitado a ensinar o silêncio – da obra Vida e Ensinamentos dos Mestres do Extremo Oriente –

A Luz
“Enquanto permaneço só no Vosso silêncio, Deus meu Pai, no meio de mim fulge uma luz pura que enche cada átomo de todo o meu ser com o seu grande fulgor. A Vida, o Amor, a Força, a Pureza, a Beleza, a Perfeição, adiantam-se em pleno domínio dentro de mim. Quando olho para o coração dessa luz, vejo outra luz, – líquida, suave, aurialva e radiantemente luminosa – que absorve, perfilha e anuncia o fogo acariciante da Luz Maior.
“Agora sei que sou Deus e me identifico com todo o Universo de Deus. Murmuro para Deus meu Pai e nada me perturba. Fico em silêncio respirando.
Quietude no Silêncio.
“Entretanto, neste silêncio completo, existe a Atividade Maior de Deus. Mais uma vez, nada me perturba e reina um silêncio completo em todo ao meu redor. Agora o resplendor desta Luz se difunde pelo vasto Universo de Deus. E em toda a parte sei que há a vida consciente de Deus. Mais uma vez digo sem medo: Eu sou Deus. Estou em silêncio e sem medo.
“Ergo o Cristo bem alto dentro de mim e entoo o louvor de Deus. Nos tons de minha música, sussurra a inspiração. Cada vez mais alto dentro de mim, a Grande Mãe canta uma Vida Nova. Cada vez mais alto e mais claro a cada novo dia, a inspiração levanta o meu pensamento consciente até entrar em sintonia com o rítmo de Deus. Mais uma vez ergo o Cristo bem alto e presto ouvidos atentos para que eu possa ouvir a música Alegre. O meu tom fundamental é a Harmonia, e o Tempo da minha canção é Deus e Deus confirma a minha canção como Verdade.
Vede, nasci de novo, um Cristo está aqui.
“Estou livre com a Grande Luz do Teu Espírito, Deus meu Pai, teu selo está colocado sobre a minha testa. Eu o aceito.
“Sustenta bem alto a Tua Luz, Deus meu Pai. Mais uma vez eu o aceito.”

AUM!

Tags:

5 comentários em: O Silêncio

  1. gladys maribel: 3:19hs de 8 de Janeiro de 2011

    muchas gracias¡¡ te mando un gran abrazo.

    Responder
  2. Thomás Armani: 13:08hs de 8 de Janeiro de 2011

    Responder
  3. Sandra: 17:27hs de 9 de Janeiro de 2011

    Que bonito! Um mergulho no vazio.
    Bj.
    San

    Responder
  4. Estela: 7:36hs de 10 de Janeiro de 2011

    :idea:…um vazio repleto de luz e plenitude… gratidão por compartilhar conosco… a conexão é atemporal… vive no tempo do coração e da mente…antes do curso do sincronário já haviamos feito contato através desse blog… que haja muita paz, amor e luz em nosso caminhar… 😀

    Responder
  5. Maria Valéria de Souza: 22:20hs de 11 de Janeiro de 2011

    Realmente, silenciar é calar o ego e dar ouvidos a superalma. Lindo texto!, obrigada

    Valéria – Santos/SP

    Responder

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

  • Etiquetas