Massagem Indiana

Neste trabalho, com o auxílio de óleos vegetais, aromas, mãos, pés, respiração, presença e Amor, busco abrir o entendimento da pessoa e conduzi-la  a perceber seu corpo, como a casa do Espírito.

Nosso corpo carrega em sua estrutura, todas as impressões recolhidas ao longo da vida. Em algum momento, precisamos entrar em contato com o que está cristalizado, sentir esta profundidade e refazer-nos. É o momento em que morremos para o velho! Nosso corpo já não quer mais a “carga” e estamos prontos, através do chamado da dor, para mudar, renascer…

A massagem que faço, tem seu coração na tradicional Yoga Massagem da mestra indiana Kusum Modak. Entretanto, como está viva, ampara-se na experiência de milhares de horas de atendimentos, mostrando-se como um trabalho peculiar. Com os deslizamentos com óleo e as manobras de abertura e alongamentos, solta-se a musculatura, libertando o esqueleto e harmonizando as articulações (as 13 principais juntas que tem em suas estruturas, pontos de encontro entre Corpo, Mente e Espírito).

Os benefícios são: liberação emocional, livre fluxo da energia vital, melhora da circulação sanguínea e linfática, respiração completa, alinhamento postural, relaxamento profundo e consciência corporal.

Veja aqui mais de uma centena de depoimentos e comentários para esse trabalho!

A Respiração é imprescindível e pode ser o resgate de nossa sabedoria primordial – o Amor.

Cursos

Curso Livre de Massagem Indiana

É um curso livre, voltado para pessoas que trilham o caminho do auto-conhecimento e o cuidado com sigo e com o outro. Ver mais…

Fotos

Grupos dos Cursos de Massagem

Vídeos

Depoimentos

Amada Gisele,
Obrigada por tudo!
Passei o resto da noite de ontem e o dia de hoje tentando processar minha experiência.
Voltei pra casa ontem apenas sentindo, uma sensação profunda no peito, não era angústia, não era mais dor, era uma sensação de reconhecimento…

Gostaria de ter feito seu curso há três anos atrás, no ano em que me casei. Queria fazer um curso de massagem indiana e procurei, procurei, procurei até que me deparei com o seu site, tive a certeza que tinha que fazer com você, sua sensibilidade na descrição do curso e do programa me tocaram, mas não consegui, justamente por causa do investimento que estávamos fazendo com o casamento.
Ano passado tentei de novo, mais uma vez não consegui… O primeiro dia do curso, que também era em abril ( se não me engano dia 20) caía no dia do aniversário do meu marido, no qual combinamos uma batia festa. Mandei um e mail pra você contando o quanto queria fazer o curso e o quanto estava frustrada e você me disse para ter calma, que a hora de eu fazer ia chegar.
Pois bem, essa hora chegou! Talvez porque agora eu esteja preparada para me entregar de verdade.
Preciso te dizer uma coisa…
Quando te conheci pessoalmente no sábado me deu uma sensação estranha, quanto mais eu ficava perto de você mais eu queria sua ajuda, queria sentir sua sensibilidade, mas quando você chegava perto sentia um aperto no peito, um distanciamento, só no final do domingo que entendi o que eu estava sentindo…
A manobra que teoricamente desencadeou meu choro só abriu a caixinha dos meus sentimentos. Quando você saiu detrás de mim e me olhou…seus OLHOS, eles enxergaram minha ALMA, tanto que eu não conseguia ficar olhando dentro deles, doia muito, era um espelho que refletia minha dor, meu machucado, meu sofrimento.
Quando você disse se era algum problema com a minha mãe foi apenas a verbalização do que eu estava vendo no fundo dos seus olhos.
Tentei me acalmar, me tranqüilizar, mais cada vez que você fixava o olhar no meu olhar eu via minha dor de novo e de novo e de novo e a angústia apertava meu peito e eu chorava, era incontrolável. Ainda sinto um pouco isso quando lembro do seu olhar!
E aí, você tentou me dar um aconchego físico, um alívio no corpo quando fez a última manobra, mas quando terminou e me olhou de novo nos olhos a dor ainda estava ali… Eu não tinha nenhuma dor física que você pudesse pegar pra me aliviar, pra fazer parar de doer…
Aí você instintivamente me puxou e me abraçou, e naquele momento você alcançou meu machucado, o nó… na minha alma, foi o que eu senti!
Seus braços me envolvendo foi como se você fosse lá no tapete (onde eu dormi há anos atrás) e me abraçasse. Você me acolheu, me amparou, meu deu carinho! Me senti protegida naquele momento, eu não precisava mais ser tão forte assim.
Assim, no final do dia ontem eu entendi o por que da sensação estranha quando te vi pela primeira vez no sábado…
o que mais me chamou a atenção e que me levou a fazer o seu curso e não tantos outros que vi, além de sua clara experiência e sabedoria no assunto, foi sua sensibilidade e carinho com o qual falava da experiência e do aprendizado da massagem indiana.
… mas o que realmente eu estava procurando era alguém que pudesse me ajudar a curar minha alma, e eu encontrei!
Só tenho que te agradecer, porque com sua sensibilidade, percepção e simplicidade você me ajudou a caminhar mais um pouquinho na busca da cicatrização dessa ferida que eu identifiquei há algum tempo atrás, mas que é tão dolorida de tratar e muitas vezes eu a deixo trancadinha num lugarzinho dentro de mim.

Pode ter a certeza de que você realmente é uma cuidadora e um instrumento de auxílio da cura, não só dos males do corpo, mas dos machucados da ALMA! Seus olhos, seus braços, suas mãos tocaram meu corpo e meu ser lá por dentro de maneira profunda e transformadora.

Que Deus continue te iluminando a cada nascer do sol, que você tenha muita saúde e muitos, muitos momentos de felicidade em sua vida!

Amor incondicional foi o que realmente senti de você no final do dia de ontem, um amor que com certeza, uma mãe tem por uma filha!

Ana Luiza – SP
Terapeuta

Um reencontro com a minha essência.
Quando somos crianças, sabemos exatamente o que viemos fazer nesse planeta.

Na minha adolescência, o meu pai me perguntou em que eu gostaria de trabalhar. Respondi que queria tratar das pessoas . E ele me orientou a fazer medicina, e eu disse que queria cuidar das pessoas com a minha mão, não com remédio. Então fui fazer fisioterapia. Já estou formada há dez anos e ainda sentia um vazio imenso, algo dentro de mim sinalizava que ainda não era bem isso, estava faltando alguma coisa.

Finalmente achei a Gi. Ela veio me mostrar o caminho. O clarão que eu buscava. Agora eu encontrei o que eu vim fazer nesse planeta.

Obrigada Gi!!!

beijos!!!!

Namastê!

Geórgia Gonçalves – fisioterapeuta – RJ/RJ
Fisioterapeuta - RJ

O ‘vício’ da massagem, que recebo semanalmente nos últimos 20 anos, começou com um doloroso torcicolo, curado com duas sessões de massagem, depois de infrutíferas tentativas com a medicina alopática. Após um convívio de anos com a Gisele e sua Ayurvédica, concluí que a massagem é muito mais que relaxamento: é também elevação de espírito, melhor relacionamento com as pessoas, sentir que devemos ser mais amorosos, ao contrário de nossa sociedade, que nos encaminha de forma progressiva para um individualismo exagerado e a uma competição predatória entre pessoas, grupos e países.

Paulo Campanário
sociólogo e demógrafo

Artigos e Links