Arquivos da Tag: Agora

Resultado Verdadeiro

Escrito em: 23 de Fevereiro de 2015 por Gisele de Menezes

Temos caminhado em União! Nossa caminhada nos mostra à que estamos Unidos. Quando colhemos os frutos e eles são doces, leves e perfumados, sabemos que estamos fazendo o melhor que podemos. A disciplina diária, a observação dos sinais, as mudanças necessárias, os sacrifícios essenciais, são os faróis que orientam nossas escolhas. Tudo está claro! Se olhamos e não gostamos do que vemos, ainda assim em meio aos piores resultados, ali está à Luz, o fruto de nossas escolhas; ao enxergarmos e não cairmos no conforto da culpa, podemos mudar. Se nos culpamos estamos nos vitimando e cristalizando. Alimentando a inércia, que é o contraponto à mudança, escolhemos estagnar, lamentar, adoecer e morrer. Compartilho abaixo o depoimento de uma pessoa que caminha em sua vida com disciplina, busca através de sua atitude individual auxiliar o coletivo e esteve entre nós para mais uma vivência. Que estas palavras possam iluminar a consciência individual de muitas pessoas e nutrir os corações que, em uma caminhada evolucionária, já estão abertos. “Oi Gi, Senti que precisava compartilhar contigo o que aconteceu e esta acontecendo Hoje. Não sei se foi a energia do Espaço Povo em Pé, a energia das pessoas, a conexão com o Ayurveda, … Ver mais…

Bandeira da Paz – Ano Novo Maia – dia-fora-do-tempo

Escrito em: 11 de Fevereiro de 2012 por Gisele de Menezes

    Passado, Presente e Futuro, guardados pelo círculo da Eternidade. Religião, Arte e Ciência, protegidos pelo círculo da Cultura. Estar no Oriente e a cada dia interagir com a cultura local, me faz pensar sobre: Onde é o Oriente? Se o povo do Norte do Oriente como os mongois ou ladaks são tão iguais ao povo do Ocidente como os índios americanos ou os bolivianos, então onde aconteceu a separação? Nossa idéia de separação é mais desastrosa do que podemos imaginar. No Oriente, ao conviver com muçulmanos, hindus, budistas e ladaks, ao escutar seus cânticos e sentir Amor em todas as crenças, sempre lembrava da Bandeira da Paz. Ficava extasiada ao escutar o canto que saia das mesquitas muçulmanas em vários horários do dia e noite.  O som dos gonpas tibetanos é igualmente divino e se parece muito com o som dos xamãs da Sibéria. Enfim, todos cantam a “boa nova”, todos acreditam em dias melhores, todos sofrem com este final de ciclo tão escuro e cheio de medos. Poderíamos estar unidos! Poderia a Bandeira da Paz cumprir sua função de proteger todas as Artes, Religiões e Culturas! Mas uma bandeira pode apenas lembrar os homens. E por que os … Ver mais…

O Manifesto de Tamera

Escrito em: 18 de Junho de 2011 por Gisele de Menezes

Para uma nova geração no Planeta Terra Por detrás da violência global revelam-se as energias de uma mudança profunda dos tempos. Aqueles que hoje se erguem contra o despotismo poderão amanhã ser testemunhas de um mundo completamente mudado. Saudamos as pessoas que hoje preparam a nova era em todos os continentes, muitas vezes, correndo risco de vida. Saudamos a comunidade planetária surgida recentemente. “Temos medo. Aqui em Gaza temos medo de ser presos, interrogados, espancados, torturados, bombardeados, mortos. (…) Somos uma juventude com corações pesados. Carregamos um peso tão imenso que se torna difícil apreciar o pôr- do-sol. (…) Há uma revolução a crescer dentro de nós, uma imensa insatisfação e frustração que nos irá destruir a não ser que encontremos uma forma de canalizar esta energia para algo que possa desafiar o actual estado das coisas e nos dê algum tipo de esperança.” (Citação extraída do Manifesto da Juventude de Gaza pela Mudança, Dezembro de 2010) Este é o apelo da juventude de Gaza. É o apelo de uma geração sem esperança. Um apelo de muitos países da Terra. Representantes do Centro de Pesquisa para a Paz em Tamera, Portugal, realizaram diversas peregrinações em Israel/Palestina e na Colômbia. Esperamos … Ver mais…

Festival da Paz Através da Cultura

Escrito em: 19 de Maio de 2011 por Gisele de Menezes

 

Estar no Eixo

Escrito em: 23 de Maio de 2010 por Gisele de Menezes

Estar no eixo, este foi um dos apelos que um Mestre fez há algum tempo atrás. Ele chegou até ali, porque me ofereci como um canal de cura. Ele veio através de um atendimento e após receber permissão para falar, explicou que muitas almas desencarnariam e que seria preciso retidão e fé. Disse também que os jovens estavam usando muito mal a energia sexual e que isso nos faria sofrer muito. Pediu para cuidarmos e respeitarmos todas as formas de vida do Planeta, disse que deveríamos valorizar desde uma formiga até um micróbio. Agora é o momento onde todos podemos soltar nossos apegos, medos e abrir nossos corações. Deixemos a Luz Espiritual descer do alto de nossas cabeças e inundar nosso ser com Luz cristalina. Vamos reconhecer tudo como Luz de Amor Universal. Elevemos nossa sagrada energia sexual. Como taças receptoras, vamos receber a Luz. O tempo é chegado e o Planeta se abre para um novo ciclo. Isso nos custará alguma dor, mas o Mestre antes de partir ainda falou: Não tem peso, não tem dor, cuidado com o ego. Que a Paz esteja com todos!

  1. Páginas:
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  • Etiquetas