Arquivos da Tag: Amor

Circulando sob Galáxias Giratórias

Escrito em: 12 de Agosto de 2018 por Gisele de Menezes

Aqui no Agora, recebendo a reflexão sobre, qual não seria a abundância de um ser que, ao receber a energia em forma de dinheiro, colocasse a circular este poder, em pró-Harmonia da Biosfera? Seria este ser, certamente tão afortunado que desta ação desapegada lhe sobraria tanto mais e assim igualmente floresceria mais energia para colocar a circular. Ver mais…

Nova Era de Harmonia, Compaixão, Paz e Amor Verdadeiro

Escrito em: 20 de Fevereiro de 2013 por Gisele de Menezes

Houve um Tempo de escuridão, entretanto havia a promessa de uma Nova Era de Luz. Haviam acordados trabalhando pela grande mudança. Existem Mestres guiando o processo evolutivo. Havia entre os homens e mulheres, expectativa, receio, esperança, mistério, insegurança, euforia, desejos, aversões, preferências… Havia também um modelo que se fez realidade e haviam guerras, fome, injustiças e desilusão. Poderíamos enumerar outros sentimentos, causas, consequencias e tudo o mais que criamos em um ciclo onde as trevas tiveram lugar de destaque. Podemos também fazer uma breve retrospectiva e lembraremos de grandes contrastes, afinal em todo o ciclo passado, enquanto uns se uniam em alegria, abundância e segurança, outros, no mesmo instante, experimentavam tristeza, escassez e desespero. O que foi essa Era de densidade? Como chegamos até aqui? Estamos, enquanto humanidade, entrando em uma Era onde experimentaremos a unificação, ou unicidade. Não teremos mais como guia, uma malha mental que entende tudo através da experiência da dualidade. Se pensávamos Paz, criavamos guerra ao simples fato de estarmos usando o “padrão dualidade” como um parâmetro. Isso se explica ao aceitarmos o fato de que todo o pensamento é criação. Você consegue pensar em Paz sem pensar no que é oposto a isso? Consegue desejar … Ver mais…

Bandeira da Paz – Ano Novo Maia – dia-fora-do-tempo

Escrito em: 11 de Fevereiro de 2012 por Gisele de Menezes

    Passado, Presente e Futuro, guardados pelo círculo da Eternidade. Religião, Arte e Ciência, protegidos pelo círculo da Cultura. Estar no Oriente e a cada dia interagir com a cultura local, me faz pensar sobre: Onde é o Oriente? Se o povo do Norte do Oriente como os mongois ou ladaks são tão iguais ao povo do Ocidente como os índios americanos ou os bolivianos, então onde aconteceu a separação? Nossa idéia de separação é mais desastrosa do que podemos imaginar. No Oriente, ao conviver com muçulmanos, hindus, budistas e ladaks, ao escutar seus cânticos e sentir Amor em todas as crenças, sempre lembrava da Bandeira da Paz. Ficava extasiada ao escutar o canto que saia das mesquitas muçulmanas em vários horários do dia e noite.  O som dos gonpas tibetanos é igualmente divino e se parece muito com o som dos xamãs da Sibéria. Enfim, todos cantam a “boa nova”, todos acreditam em dias melhores, todos sofrem com este final de ciclo tão escuro e cheio de medos. Poderíamos estar unidos! Poderia a Bandeira da Paz cumprir sua função de proteger todas as Artes, Religiões e Culturas! Mas uma bandeira pode apenas lembrar os homens. E por que os … Ver mais…

Feliz Natal

Escrito em: 19 de Dezembro de 2011 por Gisele de Menezes

Nesta época auspiciosa em que celebramos o nascimento do amado Senhor Jesus, que os corações possam estar em Paz! Na vida de Jesus, a infinitude e a sublimidade da Consciência Divina que sustenta o universo, estavam plenamente manifestadas, entretanto, o que talvez nos seja particularmente tocante é o modo como Ele viveu e esteve entre as pessoas de seu Tempo. Humildade e Compaixão por todas as Almas! Certamente Ele considerava todos como filhos de Deus e lhes tinha a empatia e a compreensão de alguém que compartilhou as experiências humanas e conhecia as batalhas pelas quais temos que passar aqui nesta amada Mãe Terra. Ao enviar à Terra suas almas, Deus confia que em algum momento da evolução seguiremos o exemplo da Realização do Cristo, vivendo os preceitos universais que iluminam o coração de maneira que também nós possamos reconhecer em nossas almas, e expressar em ações, a Consciência Divina plena de Amor. Essa é a Realização última. Em ocasiões espiritualmente auspiciosas, abre-se o chamado para o despertar de nossas almas. Eis a oportunidade para o novo nascimento do poder latente do Amor Universal de Deus. Eis a sacralidade do momento – a oportunidade de transformação. Uma oração em união com a família espiritual tem o poder de transformar nossa própria vida e … Ver mais…

Quando me Amei de Verdade…

Escrito em: 20 de Maio de 2011 por Gisele de Menezes

Nos reunimos, nos encontramos, silenciamos, nos olhamos, nos cuidamos e dançamos. Mulheres escutam o chamado e buscam suas irmãs! Elas caminham certeiras para o encontro com a Deusa. Fortalecidas, lembram seus propósitos, lembram de sua Paz interior e experimentam seu poder curador. Juntas, todas querem presentear as mulheres que não chegaram para o encontro e compartilham as sábias palavras de Charles Chaplin. Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E então, pude relaxar. Hoje sei que isso tem nome… Auto-estima. Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades. Hoje sei que isso é…Autenticidade. Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento. Hoje chamo isso de… Amadurecimento. Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Hoje sei que o nome … Ver mais…

  1. Páginas:
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  5. 4
  6. 5
  • Etiquetas