Arquivos da Tag: Cura

Resultado Verdadeiro

Escrito em: 23 de Fevereiro de 2015 por Gisele de Menezes

Temos caminhado em União! Nossa caminhada nos mostra à que estamos Unidos. Quando colhemos os frutos e eles são doces, leves e perfumados, sabemos que estamos fazendo o melhor que podemos. A disciplina diária, a observação dos sinais, as mudanças necessárias, os sacrifícios essenciais, são os faróis que orientam nossas escolhas. Tudo está claro! Se olhamos e não gostamos do que vemos, ainda assim em meio aos piores resultados, ali está à Luz, o fruto de nossas escolhas; ao enxergarmos e não cairmos no conforto da culpa, podemos mudar. Se nos culpamos estamos nos vitimando e cristalizando. Alimentando a inércia, que é o contraponto à mudança, escolhemos estagnar, lamentar, adoecer e morrer. Compartilho abaixo o depoimento de uma pessoa que caminha em sua vida com disciplina, busca através de sua atitude individual auxiliar o coletivo e esteve entre nós para mais uma vivência. Que estas palavras possam iluminar a consciência individual de muitas pessoas e nutrir os corações que, em uma caminhada evolucionária, já estão abertos. “Oi Gi, Senti que precisava compartilhar contigo o que aconteceu e esta acontecendo Hoje. Não sei se foi a energia do Espaço Povo em Pé, a energia das pessoas, a conexão com o Ayurveda, … Ver mais…

Percepção Individual sobre o Trabalho Corporal

Escrito em: 16 de Agosto de 2014 por Gisele de Menezes

Tão sagrada a percepção de cada ser! Ao pararmos para observar, concluímos algo sobre o observado. Parece simples ter uma opnião, parece repetitivo como respirar. Mas respirar não está em mim, tenho que compreender que estou na respiração. Se respiro estou e, se faço disso um momento de reflexão… Então sou. Estamos abarrotados de quadros mentais e experiências rasas que limitam a profunda percepção. Quando abrimos as camadas do “pronto”, um universo muiticolorido se revela e é uma ponte para o infinito. A vida é infinitamente o mistério da Criação por Ela mesma e é o elo de todas as correntes de percepção. Todas as percepções são insights para a mesma consciência que estará eternamente aberta à conclusão final… E outra respiração virá. Pedi às pessoas que participam de meus cursos e retiros, que descrevessem em palavras as suas percepções sobre a experiência. Recebi de volta vários depoimentos e com carinho e gratidão fui colocando nas páginas do curso de massagem em módulos e do intensivo de massagem com retiro. Entretanto uma descrição especialmente me inspirou a rever minha “percepção”. Mais do que um simples contato, pele contra pele, é o movimento invisível dos corpos enquanto trocam energia.. a conexão … Ver mais…

Beleza, Saúde, Juventude

Escrito em: 5 de Janeiro de 2014 por Gisele de Menezes

Ao ser perguntada sobre beleza, ou como ter beleza, manter a beleza, o que fazer ou como proceder nesse sentido, preciso refletir para responder corretamente e verdadeiramente auxiliar. Quando penso em auxiliar, penso em auxiliar o todo e, não raro fica muito difícil dar uma resposta agradável que satisfaça a urgência vibrante e efêmera dos dias de hoje. Por esse motivo principal, enveredei meu caminho para o lado terapêutico e fugi das associações com a idéia da estética superficial como beleza visual. E por falar em estética, ela é o que é – a manifestação do belo. Tudo na Natureza é belo. Na obra divina não existe parte de trás! A complexidade estética de qualquer organismo criado pela Natureza é diferente de qualquer obra humana. Na obra humana, seja ela o que for, desde um vaso de cerâmica até o Taj Mahal, seja o afresco de Michelangelo na capela sistina ou uma aquarela de um artista iniciante, sempre teremos a parte de trás; algo para ser escondido, disfarçado, removido, desprezado. Observe você mesmo e não encontrará na Natureza, algo como por exemplo uma montanha intocada ou uma flor do campo, ou uma borboleta, que contenham início, fim, parte de trás … Ver mais…

A Melhor Campanha Publicitária do Mundo de Todos os Tempos

Escrito em: 1 de Novembro de 2012 por Gisele de Menezes

Foi assim que aquele moço, perplexo com o ocorrido, me contou: – Eu estava sentado na sala de meu apartamento, vendo minha programação do horário nobre, de repente o controle remoto da minha bela TV não mais me obedeceu e… Oi, Eu estou aqui neste local e horário para falar com você. Não tente mudar de canal, não vou tomar muito seu tempo. Tenho muita consideração por você, sei que este é um horário nobre e custou bastante estar aqui. Convido você a sentar-se, na verdade sentar-se melhor! A posição em que você se encontra nesta “confortável” poltrona que lhe custou caro, poderá lhe custar ainda mais caro. Se continuar sentando assim, terá muita dor lombar e uma série de doenças em sua idade mais avançada. Essa aparente confortável posição lhe tira do eixo ereto de sua coluna, onde você pode receber internamente o conhecimento primário. Saiba que não receber o que é seu lhe custa bastante em uma vida. Posso lhe dar alguns exemplos do custo que falo, você fica sem força mental, sua energia não sobe da base para o alto, seu peito não se eleva e não se abre; e sua mente não se ilumina. Sentado assim, … Ver mais…

Informe Publicitário

Escrito em: 3 de Agosto de 2009 por Gisele de Menezes

Estive assistindo televisão um dia desses, era uma sexta-feira de Lua Crescente. O programa que não poderia deixar de ver me foi indicado por alguém que conheci, a pessoa teve problemas diretos com o assunto em questão e pediu que assistisse. Senti um chamado para sentar na frente do aparelho e ver como as pessoas estão alimentando seus olhos e seu intelecto. Fiquei chocada! No início, curiosa pela oportunidade de ver as coisas com a visão dos outros, sabe-se lá quem são os outros, liguei o velho aparelho. Pode parecer bizarro, mas tive que disponibilizar um local para o evento, pois não possuo televisão. Preparei tudo, tomei banho, arrumei um confortável espaço e liguei o aparelho um pouco antes de iniciar o programa. Aproveitando o acontecimento, o fato de estar ali e disposta, observei um pouco da comentada novela do momento. Sobre artistas e apresentadores, pareceu-me que a maioria estava com máscaras de plástico. Alguns não mexiam com a boca de forma natural e não expressavam muito bem sua força, pareciam frágeis e tristes, outros se pareciam muito com a figura da fera no clássico “A Bela e a Fera” de Walt Disney, que foi filmado ha um tempo atrás. … Ver mais…

  1. Páginas:
  2. 1
  3. 2
  • Etiquetas