Arquivos da Tag: Deusa

Menopausa – a Transformação Real

Escrito em: 12 de Novembro de 2017 por Gisele de Menezes

Vida é a dança espiral que vem do centro, é o giro de trazer de fora e, no mais intrínseco escuro, no fértil interior, transformar para explodir no novo ciclo de Luz – a Transformação Real! Toda a transformação acontece de forma Natural e alinhada com a inteligência criadora, mantenedora e destruidora – é respectivamente Brahma, Vishnu e Shiva. É Sattva, Rajas e Tamas. É positivo, neutro e negativo e assim por diante. Somos alguém sentado na beira do Rio da Vida que flui do sempre Agora, levando o que já não precisamos para o lago do Passado e trazendo da fonte do Futuro, o alimento para o Presente momento. Como em um ovo, quando a casca se rompe com a força que vem de dentro (Futuro), a vida acontece para seguir seu ciclo até a morte e posterior renascimento; por outro lado, se a força vem de fora (Passado), o ovo se quebra e a vida potencial morre precocemente, adormecendo temporariamente. Assim, do sutil para o grosseiro e do grosseiro para o sutil, como em uma espiral de duas vias, na Menopausa – a Transformação Real se dá em giros de espirais dentro de espirais. Mais um ciclo está … Ver mais…

Quando me Amei de Verdade…

Escrito em: 20 de Maio de 2011 por Gisele de Menezes

Nos reunimos, nos encontramos, silenciamos, nos olhamos, nos cuidamos e dançamos. Mulheres escutam o chamado e buscam suas irmãs! Elas caminham certeiras para o encontro com a Deusa. Fortalecidas, lembram seus propósitos, lembram de sua Paz interior e experimentam seu poder curador. Juntas, todas querem presentear as mulheres que não chegaram para o encontro e compartilham as sábias palavras de Charles Chaplin. Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E então, pude relaxar. Hoje sei que isso tem nome… Auto-estima. Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades. Hoje sei que isso é…Autenticidade. Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento. Hoje chamo isso de… Amadurecimento. Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Hoje sei que o nome … Ver mais…

José Arguelles - Valum Votan

Manifesto pela Noosfera – José Arguelles

Escrito em: 29 de Abril de 2011 por Gisele de Menezes

A Terra e Eu Somos Uma Só Mente. Durante mais de 5 mil de minhas órbitas ao redor do Sol, os humanos têm estado alterando a minha paisagem. Alguns deles maravilhosos, como as terras de cultivo de arroz na Distante Ásia Oriental ou do plantio de milho nos Andes da América do Sul. Canais, irrigação, diques para desviar água, pirâmides e templos, grandes muralhas sinuosas, e logo as cidades com seus sistemas de conexão de estradas, e ao longo da costa, grandes portos marítimos e barcos com velas ondulando em busca de novas terras a conquistar, novas mercadorias para comercializar e, sempre aqui e ali, grandes exércitos em guerra devastando a Terra. Estes eram os mais inteligentes, os ansiosos por riquezas e poder. Os inteligentes me traçaram com mapas e fizeram globos terrestres para imitar-me; elegeram viver no seu próprio tempo e deixaram de viver de acordo com os grandes ciclos que regem a ordem universal. Pelo dinheiro, dividiram seu tempo e dividiram a Terra. Já não se consideravam parte da Terra, senão que Eu, a Terra, me converti em sua escrava. Criaram todo tipo de máquinas e para suas máquinas necessitaram tudo o que puderam tirar da Terra: Destruíram … Ver mais…

Magia de Cleópatra em São Paulo

Escrito em: 18 de Outubro de 2010 por Gisele de Menezes

Tive o privilégio de estar em São Paulo no mês de setembro de 2010, para o trabalho feminino Magia de Cleópatra. Este trabalho tem sido um bálsamo em minha vida, e sei, de muitas outras mulheres também! Até homens, pela singela companhia destas mulheres iniciadas já deram depoimentos de benefícios. Desde 2003, quando recebi a iniciação para este trabalho pela xamã siberiana Rassamaha,  percebo que esta bênção veio diretamente da Deusa. Querem saber de mais uma coisa?… Eu adorei as mulheres paulistas, mineiras e argentinas. Que alegria estar em um grupo tão FEMININO! Há algum tempo, aprendi que fotos aprisionam o espírito do momento, concordo plenamente com esse sábio aprendizado. Fico imaginando que, se eu fotografasse tudo o que fez sentido para mim, certamente queimaria as fotos antes de me esforçar em mostrar para alguém que não estivesse Presente. A Magia não pode ser fotografada! A doçura de cada uma, o olhar curioso, o momento em que tudo fica simples, a dança, a cumplicidade, a força, a confiança, o cuidado. Cada Olga, cada Valéria, cada Amanda, cada Beth, cada Sandra, cada Lisa, cada Fran, cada Maria… Cada irmã. Sabemos que estamos ligadas pelas nossas melhores intenções e por nossos corações. … Ver mais…

Mulheres Grávidas – Parto Natural – Usinas Hidrelétricas

Escrito em: 22 de Março de 2010 por Gisele de Menezes

Como mãe e mulher, pensei em auxiliar as futuras ou recentes mamães e também dividir com mamães e vovós, um pouco do meu entendimento. Afinal mulheres grávidas aprendem com a inteligência superior de suas barrigas crescendo, com pequeninos seres cheirosinhos lá dentro. Se eu pudesse interferir de alguma forma na vida de outras mulheres, escolheria o poder para fazê-las optarem por partos naturais. Os bebês e as mamães certamente se sentiriam melhores e mais próximos de sua Natureza. Diria a elas que escutassem o corpo, pois ele possibilita a experiência para o espírito, enquanto a mente registra essas impressões. Pediria ainda que confiassem, é um movimento entrelaçado e de perfeita Harmonia, é como a respiração, simplesmente acontece. Ainda que todos os partos fossem naturais, o que é uma grande vitória no processo evolutivo, restaria ainda um longo caminho pela frente, a criação em si. Nesta senda inevitável, surge uma dúvida – Sabemos receber a criação? Hoje em dia, com tantos artifícios para o que já foi simples e sublime, talves estejamos um tanto distantes da “Criação”. Quando chegamos neste corpo físico em forma de bebês, somos vistos como propriedade de quem nos trouxe “à vida”. As mentes adultas já impregnadas … Ver mais…

  1. Páginas:
  2. 1
  3. 2
  • Etiquetas