Arquivos da Tag: Fazenda do Arado

Dissolvendo a Bruxaria

Escrito em: 27 de Setembro de 2018 por Gisele de Menezes

Ando assustada com o que tenho visto no quadro social, político, emocional e cultural do nosso País. Vejo medo, desinformação, manipulação e, confortavelmente havia resolvido não opinar, não tomar partido, não me envolver em discussões sem fim e sem força de mudança. Mesmo sem procurar ou dar energia para a infinidade de material visual e auditivo que circula pelas redes sociais e, não podendo mais ficar em uma posição “confortável” ao manter-me calada, as informações vão chegando. Ainda me esquivando passei a refletir se estou com medo, ou se anestesiada acredito em dias melhores sem que eu tenha que lutar por eles… Que coisa insana esta gente toda, estes interesses todos, estes achismos, partidos, ideologias, todos com suas razões e verdades absolutas. Quanto desentendimento! Alguns ridículos causam até dó, outros inflamados, uma certa euforia, outros ainda aparentemente sérios e responsáveis, desconfiança, memórias, lembranças ruins. Que momento este, que oportunidade à iluminação estamos tendo, tantos reflexos de nós mesmos a nos mostrar o poder de nossas escolhas, pensamentos e intenções. Seguindo nesta nova posição que recentemente decidi tomar, passei a olhar com “outros olhos” para o que pode estar por trás de uma situação aparentemente horrível. Olhei, escutei, olhei, li… Não … Ver mais…

Reflexões na Terra Hindu

Escrito em: 6 de Abril de 2017 por Gisele de Menezes

Arrumando as anotações em um bloco de notas, aproveitando os deslocamentos pela amada terra hindu, sentindo uma alegria misturada com tristeza, ao que se poderia chamar de um misto de sensações e, vislumbrando a caminhada passada do sábio Ramana Maharish de Tiruvanamalai, encontrei uma em especial. Na terra hindu, desta vez agregada pelo período do mês de janeiro deste ano de 2017, para estudos de Ayurveda com o grupo formado pela escola na qual estou ligada, o papel e a caneta brilharam novamente aos meus olhos. Ao ler as anotações e reflexões encontradas no bloco, fui tomada pela mesma alegria que senti com a inspiração que me oportunizou escrever um livro. Escrevi o livro quando estive na sagrada Índia pela primeira vez nesta vida no ano de 2007. A viagem seguia em direção a Tiruvanamalai no Tamil Nadu, e as reflexões nas quais costumo mergulhar por vezes se intensificaram. A maioria das pessoas dentro do ônibus dormiam, a viagem e os dias na Índia estavam intensos e cansativos. Entretanto eu, em minha bem vinda insônia diurna, encontrava o post não postado que me fazia mergulhar em novas e mais profundas reflexões. Havíamos chegado em Chennai, terra sagrada especialmente por ter sido o local … Ver mais…

  • Etiquetas