Arquivos da Tag: Natureza

A Chegada dos Kumaras

Escrito em: 12 de Maio de 2009 por Gisele de Menezes

Foi em uma bela manhã no alto das montanhas do Sul, que vi eles chegarem. Estava lá para um recolhimento. Sabia que era um momento especial para todo o Universo. Eles vieram através dos pássaros, da raposa, dos cogumelos, das maças, da carqueja do campo, das araucárias, dos pinos, do puma negro e das gralhas.   Cada uma destas espécies se manifesta em um ambiente adequado e tem sua mensagem de cura, tem parte importante no equilíbrio da Natureza.   A terra está secando! Esta foi a sentença que mais escutei pelos habitantes da região. O aspecto do lugar também mostrava isso. As cachoeiras estão com a água visivelmente escassa.   O lugar onde me encontrava, é belíssimo e já foi abundante. Em volta de toda a região, estão volumosas plantações de Pinos. Ao longe podemos ver as Araucárias, são os habitantes ancestrais daquele lugar. Algumas araucárias estavam com as pinhas prontas e as gralhas vinham bicar e logo lá do alto as pinhas se esparramavam dando alimento até para nós, seres de duas pernas. Em frente a pequena cabana onde estava abrigada, avistei um plantio simétrico de mudas de pinos e um bom lugar para sentar. Sentei-me entre as … Ver mais…

Depoimento de um Médico Vegetariano

Escrito em: 19 de Janeiro de 2009 por Gisele de Menezes

Dr. Eduardo Lima é médico (clínico geral), formado pela Universidade Federal de Juiz de Fora há 32 anos. Escreveu esse contundente depoimento pessoal quando parou de comer carne, em julho de 2007. Quando solicitado a dar uma entrevista sobre o vegetarianismo e sobre como se tornou um vegetariano, fez questão de que constasse esse “documento” já elaborado. Desde então, mantém-se firme como vegetariano. Estou com 55 anos. Tenho artrite, pressão alta, cansaço, dor muscular e articular, gota, má digestão, dor de cabeça e irritabilidade. Não bastasse ser médico e conviver com dezenas destas queixas, me vi também envolvido por elas. É a idade, penso eu. Passou dos cinqüenta, ninguém agüenta! E assim, como todo cidadão que vai para o trabalho, tomava o ônibus bairro-centro e voltava centro-bairro. Sabem onde moro? No centro. São dois pontos e pronto, cheguei! Mas cadê a coragem, perna, fôlego, disposição para andar oito quadras (mais ou menos 1 Km)? Mas 55 anos, 1,85 m, 97 kg e dor pra todo lado, vamos de ônibus mesmo. E aos meus clientes recomendando não comer açúcar, carne vermelha apenas nos churrascos, peixe e frango à vontade, evitar o que dá debaixo da terra, cuidado com massas, façam exercício, … Ver mais…

A Miséria é Humana

Escrito em: 2 de Dezembro de 2008 por Gisele de Menezes

Quando alguma situação terrível se apresenta, é comum ouvirmos alguém falar que é desumano, que uma “coisa dessas” não é humana. Eu ouso perguntar… Que outra espécie se mostra gananciosa, indiferente, cruel, esganada, assassina, corrupta, ladra, imoral, pedófila, avarenta, maldosa, imprudente e além de tudo isso, orgulhosa? Coloquei abaixo um texto que recebi por e-mail e não sei de quem é, mas certamente foi escrito por um ser humano que não está orgulhoso com sua espécie.   ” ……….. sabem aquelas fotos de crianças desnutridas que são mostradas no Discovery Channel, na National Geographic, nos concursos de foto. Algumas viraram até objetos de arte, em livros de fotógrafos renomados. São imagens de miséria que comovem. São imagens que criam plataformas de governo. Criam ONGs. Criam entidades. Criam movimentos sociais. A miséria pelo mundo, seja em Uganda ou no Ceará, na Índia ou em Bogotá sensibiliza. Ano após ano, discutiu-se o que fazer. Anos de pressão para sensibilizar uma infinidade de líderes que se sucederam nas nações mais poderosas do planeta. Algumas Ong´s dizem que 40 bilhões de dólares seriam necessários para resolver o problema da fome no mundo. Extinguir. Não haveria mais nenhum menininho terrivelmente magro e sem futuro, em … Ver mais…

Maria ou João, na Cidade Grande

Escrito em: 18 de Janeiro de 2008 por Gisele de Menezes

Andava Maria pelas ruas da cidade. Queria chegar em um local distante 2 km de sua casa. A grande maioria dos carros que passavam, e eram muitos os carros, usavam seus aparelhos de ar “condicionado”. Provavelmente, pelo que podia observar Maria através dos vidros fechados, dentro dos carros os tripulantes ouviam música ou noticiário, falavam em seus celulares e mais.

  1. Páginas:
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  • Etiquetas