Arquivos da Tag: Verdade

O Mago de Botas

Escrito em: 8 de Fevereiro de 2014 por Gisele de Menezes

Quero aqui falar, como filha da Terra que sou, sobre o homem. O homem de sempre. Homem aquele que comunga com a Terra, que coloca o alimento em nossas mãos, olha nos olhos de seu semelhante, tece de alguma forma o seu agasalho e apara a sua barba com olhar estético. Preciso falar do homem que cuida de um pai doente, de uma mulher frágil, de uma mãe cansada, e não raro, do pão nosso de cada dia. Penso no homem que, ao dar a sua sagrada energia, após colher os frutos da Mãe Terra, compartilha com os demais e cura a fome do pobre. Enfim, vou falar do Mago de Botas, o homem que as vezes até esquece de agradecer aos céus a força que tem nessa vida. Nós mulheres estamos falando tanto no sagrado feminino, que até parece que o homem não tem uma relação sagrada com sua existência. As vezes nos enfeitamos e nos exaltamos tanto que nos distanciamos do filho da Terra! O que precisa o homem que conhece a Terra, para estar íntegro? Qual a relação dele com o meio ambiente? Qual sua contribuição? O homem percebe-se aqui, olha para os lados, traz suas impressões, … Ver mais…

Nova Era de Harmonia, Compaixão, Paz e Amor Verdadeiro

Escrito em: 20 de Fevereiro de 2013 por Gisele de Menezes

Houve um Tempo de escuridão, entretanto havia a promessa de uma Nova Era de Luz. Haviam acordados trabalhando pela grande mudança. Existem Mestres guiando o processo evolutivo. Havia entre os homens e mulheres, expectativa, receio, esperança, mistério, insegurança, euforia, desejos, aversões, preferências… Havia também um modelo que se fez realidade e haviam guerras, fome, injustiças e desilusão. Poderíamos enumerar outros sentimentos, causas, consequencias e tudo o mais que criamos em um ciclo onde as trevas tiveram lugar de destaque. Podemos também fazer uma breve retrospectiva e lembraremos de grandes contrastes, afinal em todo o ciclo passado, enquanto uns se uniam em alegria, abundância e segurança, outros, no mesmo instante, experimentavam tristeza, escassez e desespero. O que foi essa Era de densidade? Como chegamos até aqui? Estamos, enquanto humanidade, entrando em uma Era onde experimentaremos a unificação, ou unicidade. Não teremos mais como guia, uma malha mental que entende tudo através da experiência da dualidade. Se pensávamos Paz, criavamos guerra ao simples fato de estarmos usando o “padrão dualidade” como um parâmetro. Isso se explica ao aceitarmos o fato de que todo o pensamento é criação. Você consegue pensar em Paz sem pensar no que é oposto a isso? Consegue desejar … Ver mais…

A Melhor Campanha Publicitária do Mundo de Todos os Tempos

Escrito em: 1 de Novembro de 2012 por Gisele de Menezes

Foi assim que aquele moço, perplexo com o ocorrido, me contou: – Eu estava sentado na sala de meu apartamento, vendo minha programação do horário nobre, de repente o controle remoto da minha bela TV não mais me obedeceu e… Oi, Eu estou aqui neste local e horário para falar com você. Não tente mudar de canal, não vou tomar muito seu tempo. Tenho muita consideração por você, sei que este é um horário nobre e custou bastante estar aqui. Convido você a sentar-se, na verdade sentar-se melhor! A posição em que você se encontra nesta “confortável” poltrona que lhe custou caro, poderá lhe custar ainda mais caro. Se continuar sentando assim, terá muita dor lombar e uma série de doenças em sua idade mais avançada. Essa aparente confortável posição lhe tira do eixo ereto de sua coluna, onde você pode receber internamente o conhecimento primário. Saiba que não receber o que é seu lhe custa bastante em uma vida. Posso lhe dar alguns exemplos do custo que falo, você fica sem força mental, sua energia não sobe da base para o alto, seu peito não se eleva e não se abre; e sua mente não se ilumina. Sentado assim, … Ver mais…

Bandeira da Paz – Ano Novo Maia – dia-fora-do-tempo

Escrito em: 11 de Fevereiro de 2012 por Gisele de Menezes

    Passado, Presente e Futuro, guardados pelo círculo da Eternidade. Religião, Arte e Ciência, protegidos pelo círculo da Cultura. Estar no Oriente e a cada dia interagir com a cultura local, me faz pensar sobre: Onde é o Oriente? Se o povo do Norte do Oriente como os mongois ou ladaks são tão iguais ao povo do Ocidente como os índios americanos ou os bolivianos, então onde aconteceu a separação? Nossa idéia de separação é mais desastrosa do que podemos imaginar. No Oriente, ao conviver com muçulmanos, hindus, budistas e ladaks, ao escutar seus cânticos e sentir Amor em todas as crenças, sempre lembrava da Bandeira da Paz. Ficava extasiada ao escutar o canto que saia das mesquitas muçulmanas em vários horários do dia e noite.  O som dos gonpas tibetanos é igualmente divino e se parece muito com o som dos xamãs da Sibéria. Enfim, todos cantam a “boa nova”, todos acreditam em dias melhores, todos sofrem com este final de ciclo tão escuro e cheio de medos. Poderíamos estar unidos! Poderia a Bandeira da Paz cumprir sua função de proteger todas as Artes, Religiões e Culturas! Mas uma bandeira pode apenas lembrar os homens. E por que os … Ver mais…

Vazamento no Golfo e o Mundo Vê a Copa

Escrito em: 24 de Junho de 2010 por Gisele de Menezes

Tudo se repete, fazemos questão de repetir, periodicamente caimos na burrice e alienação, mas agora… O que fazer para estancar? Como fazer para limpar? Estou envergonhada de ter precisado e de ainda usar produtos e subprodutos do petróleo. Petróleo é o nome que demos ao sangue da Mãe Terra. Damos nome a tudo, tomamos posse e usamos o que nem sequer sabemos ser. O resultado de nossa ganância por mais e mais, agora grita aos nossos olhos jorrando sem parar como uma incontrolável emorragia. Quanto tempo a Natureza levará para renascer?  Pergunto, pois estamos morrendo. O que fizemos? Onde chegamos? Somos uma sociedade que renegou a abundância divinamente oferecida sobre a Terra. Fomos cavar no escuro, violamos as profundezas para criar morte e um brilho plástico na superfície que nos encanta mais que o brilho do Sol. Ignoramos o brilho das estrelas, do orvalho nas flores e folhas refletindo a Luz do Sol. Ignoramos o brilho da Água translúcida do mar que agora, escurece a cada dia.  Somos renegados e nosso Carma se agranda. Teremos que evoluir agora. Esta talvez seja a oportunidade para abaixarmos a cabeça, ver que erramos e, sem culpa, mas com responsabilidade, unidos, fazermos algo para … Ver mais…

  1. Páginas:
  2. 1
  3. 2
  4. 3
  • Etiquetas