Índia Verdadeira

Escrito em: 24 de Abril de 2009 por Gisele de Menezes

Tenho recebido alguns PPS que procuram mostrar a Índia, afinal está na moda. São variadas apresentações, circulam pela internet  e como todos sabem, são montadas pelas mais diversas “cabeças”. Algumas apresentações falam de Tantra, outras retratam belezas, outras ainda a miséria e outras, a vida como ela é, mas o que fica claro é que as “cabeças” que montam as apresentações, são ocidentais.

Penso que pode ser perigoso darmos crédito à visão ocidental sobre o Oriente.  Esta visão facilmente poderá estar atrelada à muitos conceitos rígidos e tera como agravante, a tradição de um povo colonizador e exterminador de culturas nativas.

Sinto vontade de auxiliar aos leitores a fazerem uma reflexão.

Desta característica ocidental um tanto prepotente, temos que admitir que tem ainda a falta de humildade para ver o outro em seu contexto diferente e respeitar isso. Ainda ontem, passeando pelo centro da cidade de Porto Alegre, passei em frente a Catedral e me demorei observando um afresco colorido e estampado bem na frente do imenso monumento religioso. A pintura traz a imagem de Maria sentada em um trono com o Filho no colo e alguns homens ao seu redor como a respeitar e admirar a “virgem”. Se um hindu olhar para aquela obra, falará em seu país que aqui, nós também cultuamos a Deusa, entretanto, os católicos que freqüentam aquela paróquia achariam uma heresia um culto à Deusa.

Se este mesmo hindu descer algumas quadras em direção ao belo, imenso e imundo rio que beira a cidade de Porto Alegre e tem como afluente principal o esgoto do riacho Ipiranga que corta a cidade carregando todos os degetos e venenos até lá, verá também, ao chegar nos arredores da perigosa rodoviária, cenas de prostituição e obcenidades à luz do dia. Isso tudo misturado à miséria, mau cheiro e o perigo eminente de ser assaltado e até machucado. No trajeto, da catedral até o cais do porto, este turista ainda encontrará várias carrocinhas vendendo comidas recheadas com carne de seres vivos já em estado de putrefação, mas bem temperadas e cozidas. Coisas como miolos, bucho, toicinho, torresmo ou pele de animal tostadinha, espetinhos de coração, porco que virou linguiça e uma infinidade de “quitutes”.

Será que este hindu seria hipócrita o bastante para ao chegar em seu país montar um PPS dizendo que somos pagãos, impuros, cruéis, imundos e agressivos? Será que este visitante diria que estamos neste estado por causa de nosso Deus?

Eu estive na Índia e fui bem recebida, não passei nenhum perigo de assalto, não vi nenhum horror ao contemplar o ritual de cremação de corpos, não passei mal ao tomar banho no Ganges, pelo contrario, aprendi o poder da oração. Não vi desrespeito às famílias, e não vi nenhum animal ser sacrificado. Vi miséria, mas já conhecia, vi sujeira, mas já conhecia, vi super-população e problemas com saneamento, mas já conhecia; e vi beleza, mas também já conhecia. O que eu não conhecia era a história sobre a longa estada de Jesus naquela terra tão ancestral, que por aqui, talvez por hipocrisia ninguém comente.

Enquanto acharmos que o Deus daqui é diferente do Deus de lá e que não teve de unir-Se à Deusa para em êxtase, Ser o Filho da criação; viveremos na miséria e nos alimentaremos de corpos de seres vivos.

Aprendi a orar e hoje oro para que todos os seres possam ter Paz!

Tags:

9 comentários em: Índia Verdadeira

  1. Sheila: 20:29hs de 24 de Abril de 2009

    Oi, nem sei o que é PPS mas meu coração está inteiro com você em tudo o que li.
    Muitos de nós já estão recebendo uma ajuda extra para soltar as idéias de separação, que nem são próprias!
    Podemos continuar com a vibração bem elevada para participarmos neste momento tão importante. da melhor forma possível, ancorando o que quer se implantar no nosso planeta, para que possa finalmente ser um planeta de luz, com seres de luz!

    Namastê!

    Responder
  2. Gisele de Menezes: 20:49hs de 24 de Abril de 2009

    Namastê Sheila,

    PPS são aquelas apresentações que recebemos em Power Point, algumas são só encaminhadas, essas nem abro, mas são formadoras de opinião. Você, com toda a sua sensibilidade e o belo trabalho que faz de harmonização e conscientização entre os reinos, é uma inspiração para minhas reflexões. Que todos possam conhecer o seu precioso trabalho.

    AUM!

    Responder
  3. Maristela: 1:31hs de 25 de Abril de 2009

    Parabéns pelo texto, adoro entra no seu blog e ler os textos, são de grande ajuda para minhas refleções e aprendizado. Na verdade o homem só sairá de sua ignorância quando olhar o outro com respeito e como um irmão, na passagem o homem esquece de suas outras encarnações, criticando outro ser, não se dá conta de sua origem e nem do seu Criador. Namastê Gisele!

    Responder
  4. Irin a: 14:56hs de 25 de Abril de 2009

    Namastê, Gisele,
    Vejo q a cada dia vc se torna uma pessoa mais rica e mais bonita e o fato de compartilhar sua vivência e riqueza interior com o próximo representa uma grande experiência de vida para todos nós que recebemos suas mensagens…
    Cada vez mais me convenço de q a única coisa q deveria ser globalizada é o amor a todos os seres vivos desse nosso pobre planeta…Você é um grande exemplo …
    Irina

    Responder
  5. Alcione: 15:58hs de 25 de Abril de 2009

    Olá Gisele? Importante reflexão. Como é bom ampliar a visão “consciencia”, “tocar” distinguir sentir, escrever e interagir de forma inteligente e amorosa; perceber algumas realidades deletéreas e não se identificar com elas; valorizando sobretudo o que nos é verdadeiramente precioso…. e digo mais; no contexto de “propagar”, por assim dizer, é nossa responsabilidade manter o que provém de discernimento luz e sabedoria.
    Namastê.

    Responder
  6. Gisele de Menezes: 18:54hs de 25 de Abril de 2009

    Namastê Maristela,
    As vezes não sei o que escrever, fico confusa, mas de repente, acho que é porque me propus a isso, entra uma clareza e consigo. O mais legal é o retorno. Grata por sua visita e participação iluminada por aqui. AUM!

    Responder
  7. Gisele de Menezes: 19:00hs de 25 de Abril de 2009

    Namastê Irina,
    Ler suas palavras e sua clareza, me fazem lembrar que alguns momentos na minha vida são realmente preciosos. Ter andado ao seu lado por um período foi muito bom. Saiba que aprendi muito com você. Quando você fala de Amor, fala como meu filho Gustavo, ele diz que a única bandeira que quer carregar é a da Paz.
    Beijos de coração

    Responder
  8. Gisele de Menezes: 19:03hs de 25 de Abril de 2009

    Namastê Alcione,
    Acho que em nossa caminhada, falo de mim e de você, temos muita ajuda! Pedimos por Luz de consciência e paulatinamente vamos recebendo, pedimos pela abertura de nossos corações e também vamos sendo iniciados na senda da Compaixão. Como dizem os butistas tibetanos – May all beings be happy!

    Responder
  9. Mateus Rocha: 18:26hs de 13 de Julho de 2009

    Olá Gisele,
    muito legal a sua reflexão, pq somos hipócritas o tempo todo. Analisamos a cultura do outro com nossos olhos, estamos sempre querendo comparar o Ocidente com o Oriente, para o Mal ou para o Bem. Apesar de sermos unos, somos diferentes, e devemos respeitar essas diferenças.
    Sou massoterapeuta ayurvedico, e o seu trabalho parece ser bem verdadeiro. Parabéns!
    Grande beijo.
    Namastê!

    Responder

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados com *

  • Etiquetas