Corpo, Chão e Som

Oficina de trabalho corporal com Gisele de Menezes

Nessa vivência, a terapeuta faz um trabalho corporal completo em uma pessoa escolhida através de critérios cuidadosos.

O trabalho é aberto a um grupo de pessoas que queiram aprofundar seu entendimento sobre a Massagem Método Gisele de Menezes.

Recursos da oficina

O Corpo e a respiração do receptor e doador, óleos vegetais e unguentos de ervas aromáticas.

O Chão e o campo energético do local e das pessoas presentes.

O Som como instrumento de cura. Usamos as musicas construídas e interpretadas pelo grupo musical Camomila Chá.

Todos estão convidados e são bem vindos para essa experiência!

Sobre o trabalho

A vivência é meditativa e intuitiva. Recentemente, após 20 anos de experiências e entendimentos, uma maneira mais profunda, mais silenciosa e mais pontual de tocar, abriu-se nas mãos da terapeuta. Ainda mais no chão, ainda mais no tempo da respiração, ainda mais presente!

Um trabalho que tem o potencial de fazer-se Som, Respiração, Calor, Fluidez e Forma.

Frases que expressam as experiências com o trabalho corporal

Com minhas mãos auxiliei pessoas a respirarem profundamente e pude acompanhar muitos processos de liberação emocional. Fui tão profundo com quem se abria que não raro contemplei relaxamentos onde a respiração passou a ser tão suave, uniforme e profunda, que algumas vezes ficou quase imperceptível. Pude constatar que qualquer pessoa que atinja este estado, experimenta Amor!” 

“Para mim, a magia de cura da massagem é que ao entrar em contato com ela, resgatamos nosso conhecimento nato – ao fazermos a massagem com o toque lento, firme, profundo e em estado de “Presença”, acessamos o registro das sensações no corpo. É nesta profundidade que libertamos as sensações que cristalizaram antes de serem julgadas pela mente condicionada. São as sensações da primeira infância. Neste espaço de confiança e fé, acessamos a inocência.”

“Todo o conhecimento que pudermos adquirir ao longo de nossas vidas, somente se transformará em sabedoria quando nos curvarmos de joelhos à prática e nos deixarmos guiar pela intuição.“

Gisele de Menezes